Resolvendo conflitos e convertendo a situação em melhoria

Na trajetória de grupos, empresas tradicionais, startups, grandes projetos, disputas esportiva não-individuais, etc, é muito comum a exigência por melhores resultados.

Todos, cada um com sua cabeça e modo de pensar, estão buscando o melhor caminho. E é ai que surgem os conflitos. Neste artigo iremos ver uma boa forma de transformar conflitos em resultados e crescimento.

A pressão, a busca por melhores resultados, a ideia de cada um de como conseguir o melhor para o time, sem dúvida é responsável por causar divergências e conflitos, justamente na ânsia ou busca por essa melhor condição.

O conflito parece advir da visão de cada um de como o todo pode ser melhor e os passos/caminhos que devem ser seguidos para que esta melhoria seja alcançada, ainda mais quando os caminhos visto por cada pessoa conflita ou não pode ser seguido simultaneamente à visão / caminho visto por outra pessoa do time. O que ocorre neste caso é mais uma questão de comunicação e a definição de um processo de como resolver essas disputas.

É na maneira como se resolve a disputa que parece residir o problema no qual vamos focar. Como definir com a escassez de possibilidade de se executar medidas ou idéias opostas de avanço, em busca de resolver problemas e buscar melhorias. Qual o melhor passo a passo para se resolver estas disputas em prol de um alinhamento em busca de um cenário mais favorável.

Analisando resolução de conflitos no casos de times que estão obtendo bons resultados

Irei citar casos hipotéticos de empresas bem sucedidas. Mas basta você portar a exemplificação para outros casos, como um time de futebol com bons resultados, uma dupla vencedora de um esporte, um grupo de engenheiros buscando realizar um grande projeto em sua área, etc.

Já vou começar pela conclusão: O conflito tende a sempre existir. Mas estar sendo bem sucedido irá mascarar os problemas.

Mesmo em momentos bem favoráveis, de bons resultados, é esperado que não estejam sendo gerados conflitos. O sucesso estará encobrindo os problemas, os não ajustes, os pecados e várias outras coisinhas que estão sendo por enquanto ignoradas. Nessa situação, justamente porque as coisas estão indo bem, por baixo de tudo, a tendência é que não se tenha ciência do que acontece que está minando as relações / relacionamentos.

Se pensarmos, tudo que envolve mais de uma pessoa diretamente para dar certo, envolve relacionamento. Por isso o conflito surge, seja numa empresa, num casamento, nos esportes coletivos, etc e não observamos a razão.

A forma de comunicarmos e como resolver situações de interesse distintos quando elas buscam melhorias de condições / resultados. Estamos ignorando pessoas que simplesmente estão buscando destruir algo. Para estes casos, a melhor solução em geral é buscar se blindar e se distanciar da fonte causadora de problemas. O objetivo não pode fugir de buscar melhoras.

Outro problema dos bons resultados é que ele tende a não durar para sempre. E esta inversão pode evidenciar os probleminhas, agora, acumulados, que viraram então vários problemas.

Outro ponto é que quando as coisas estavam indo bem, todos estavam ocupados demais fazendo suas funções e ninguém atento ou interessado em resolver os probleminhas, aquelas pequenas arestas não aparadas e toleradas até o momento que a tendência se inverte e a situação piora. Ai tudo tende a surgir de uma vez.

É neste momento que se aprende de maneira dura que se devia ter preparado para resolução de problemas antes. Conflitos sempre surgiram como uma espiral cíclica na vida, assim como problema. Não parece existir uma forma de ficar livre deles. Então para crescermos, devemos cada vez estarmos mais preparados e maduros para enfrentar estas situações e transformá-las de negativas em positivas, e não simplesmente piorá-las.

O erro que a maioria das equipes comentem é evitar a dinâmica exigida para se manter saudável um relacionamento. Raramente falando diretamente e honestamente uns com os outros.

Com isto, não se investe tempo em refletir sobre o que cada um precisava. Nunca se busca apoio entre as pessoas para garantir a saúde da parceria. Quando a lua de mel termina, não há fundação saudável para apoiar a empresa, o time, etc.

No exemplo de uma empresa, durante o tempo de sociedade, costuma-se sempre os sócios olharem atentamente como se conheciam bem antes de começarem. A maioria das pessoas pensa em bons pares em termos puramente funcionais: uma pessoa de negócios aliada com uma pessoa técnica.

Isso é funcional, muito simplista, mais profundo do que apenas isso, porque quando o conflito surge (e sempre acontece), se você não tem nada em comum além da inicialização, vai lutar para encontrar um terreno comum no pior dos tempos. É necessário que os fundadores tenham algo em comum, mas não suficiente em si mesmo.

No caso de sócios que se conhecem há muitos anos, e tendo sido amigos de longa data, que tiveram história, costuma se aprender tarde demais que tudo isso não é suficiente – tem que mantê-lo como qualquer relacionamento. Não basta que você tenha sido amigos há anos. Importa o que seu relacionamento é agora.

Evitando conflitos

Verificando o exemplo hipotético da empresa acima, reforçando que o mesmo vale para situações completamente distintas, como por exemplo um time de futebol, uma dupla de vôlei, um projeto qualquer, em retrospectiva, se é capaz de perceber que a ampliação do problema ou até mesmo a ruptura era totalmente evitável.

O sintoma do problema pode ser por exemplo, os envolvidos pararem de passar tempo juntos, em geral, porque estavam evitando conflitos.

Em geral, se quer tanto ter sucesso, se quer tanto o ‘nós’ sermos grandes em suas respectivas área, que se salta o duro trabalho que é preciso para conseguir que o relacionamento esteja sempre saudável, e além disto, fazer o nosso melhor trabalho.

Então chegamos a um ponto importante. Existem dois grandes trabalhos que devem ser feitos em paralelo:

  • Ser bom no que se definiu ser e vencer a concorrências e disputas.
  • Ser bom em manter relacionamentos fortes e saudáveis, resistindo aos inúmeros problemas que vão surgir, num padrão: abraçar o conflito e resolvê-lo.

É um problema fácil de ser reconhecido em fundadores, times, duplas, etc, seja como um conselheiro, investidor, técnico, etc

Se não for investido tempo juntos fora do trabalho, pergunte-se porque?

Se em ambiente comuns é evitado contato, encontros, se tenta manter suas interações no mínimo, isto pode ser um sintoma que o trabalho de fortalecimento contínuo de relacionamento não vem sendo feito. Além disto, o motivo tenderá a ser que se está evitando o conflito por apenas evitá-los. Isso simplesmente não vai funcionar em médio e longo prazo.

Este erro se repete pela seguinte idéia:

  1. o conflito é ruim
  2. então se minimizarmos quantas vezes isso acontece
  3. esse é o melhor caso possível.

Só que é ai que reside o problema. Isso é uma armadilha! É uma bomba relógio. Este modo de agir leva a uma escalada:

  1. atitude defensiva
  2. a crítica
  3. o desprezo
  4. o isolamento

Identificando-se claramente esses comportamentos nos relacionamentos, é perfeitamente capaz de se prever o fracasso do relacionamento com uma precisão estranha.

Coesão de um time de longa data se obtém realmente abraçando o conflito, estando constantemente no processo de resolvê-lo.

Se não é possível argumentar e chegar à melhor solução, não está sendo feito o trabalho para realmente ter um relacionamento profissional real e saudável.

Deve-se realmente se inclinar para o conflito e sair com uma solução que faz sentido, uma e outra vez. E quantas vezes forem necessárias, porque as situações de conflito serão recorrentes. O simples ou constante evitar deve ser conscientemente evitado, investindo-se esforço para combater esse comportamento padrão que levará à saída errada e a ruína.

Não concordo com alguma coisa? Não deixe o quarto até que você tenha uma resolução.

Uma hora não é suficiente? Cancelar seu fim de semana, ir em uma caminhada e descobrir.

Descubra os métodos que melhor sirva para seu time, mas crie um processo de resolução de conflitos.

Nestas situações, não há nada mais importante do que fazer este trabalho e sair delas mais forte, fortalecendo as duas frentes de trabalho que citamos: a técnica e o relacionamento.

Muito conflito? Crie limites

Obviamente, lutar o tempo todo também não é bom. Se isso tiver acontecendo, é um indicativo para um relacionamento que se tornará desgastado mais cedo ou mais tarde.

Quando os envolvidos num relacionamento com objetivos comum estão em uma situação onde eles estão lutando sobre tudo o tempo todo, geralmente significa que seus papéis individuais não são bem definidos o suficiente.

Dois engenheiros fundadores se recusam a desistir de uma decisão arquitetônica, os fundadores orientados a produtos com habilidades semelhantes lutam pela direção e assim por diante.

Aqui está a melhor maneira de lidar com isso:

  1. Faça uma lista de todas as áreas necessárias para o seu negócio ou vida pessoal, no caso de um casamento por exemplo.
  2. Em seguida, descubra quem é melhor em cada parte
  3. Atribua uma pessoa para cada parte
  4. Se alguém é melhor em vendas, ele fica responsável por isso.
    1. Da mesma forma para DevOps ou qualquer outra tarefa específica que é fundamental para o seu negócio.
    2. Essa pessoa é oficialmente o dono dessa coisa.
  5. Todo mundo concorda em ouvir uns aos outros quando uma decisão surge, mas uma vez que o proprietário decide, todo o debate acabou.
  6. Todos seguem em frente.
  7. Você não pode debater as coisas para sempre
  8. Ao se concordar e finalizar, nunca, jamais, em hipótese alguma volte atrás apontando dizendo que não concordava e via que isto não daria certo.
    1. Este não é o comportamento que se precisa
    2. O comportamento é sair com solução e não apenas evitar o conflito
    3. Os envolvidos precisam ser capazes de confiar uns nos outros e ter um método para RESOLVER e não EVITAR
    4. Se todos concordaram, concordaram. Se acerta e se erra junto e ponto

São mudanças bem profundas para a maioria das pessoas, e por isso tão poucos conseguem estruturar times capazes de efetuar grandes façanhas por longo tempo, relacionamentos espetaculares com seus parceiros e tudo mais.

Não é apenas um trabalho. São dois. Lembre-se sempre disto e mude a forma com lidar problemas e conflitos, que irão sempre surgir. A sua forma e postura como atua na resolução deles irá determinar o seu nível de sucesso na vida amorosa, na sua carreira, nos seus projetos.

A vida é sensacional e curta demais para investirmos tempo perdendo-o.

Avante! Sempre Avante! Dias melhores ainda estão sempre por vim para quem o fizer por merecer.

Faça por merecer! Plantemos e colhamos!

Abraçando conflitos, lutando com balanceamento para resolvê-los

  1. Todos envolvidos querem ser vitoriosos e querem o melhor para o grupo. Então é necessário ver onde se é injusto e ver que existem escassezes. Portanto, deve-se balancear o que dá para todos terem o máximo.
  2. Abraçar o conflito em vez de abandonar.
    1. Alguns participantes sabem o que querem, e sabem o que é certo, mas desistem antes mesmo da luta começar.
    2. Valorizam a harmonia nas interações com todos com quem trabalham / relacionam.
    3. RESULTADO:
      1. Com o tempo se aprende da maneira mais difícil, que não se pode sacrificar o que se sabe que é certo para chegar a essa harmonia cedo
      2. O problema problema de outra forma
    4. SOLUÇÂO:
      1. Se você tem a solução, tem que lutar.
      2. Não engula suas palavras.
      3. Se você tem um ponto, certifique-se de que você está ouvindo e sendo ouvido
      4. Por vezes erramos convictos, assim como acertamos por estarmos convictos também. Ouvir e ser ouvido. Sabe se está certo ou errado é mais importante do que buscar se manter no erro ou deixar outros incorrerem no erro podendo afetá-lo
  3. Isto não é uma luta, tampouco um disputa de força. É um ganha-ganha
    1. O mais forte da disputa não deve necessariamente e automaticamente ser quem vence a disputa
    2. Trata-se realmente de evitar conflitos de uma maneira diferente
      1. um que não dá qualquer espaço para qualquer idéia concorrente em tudo não está colaborando, tende a não dar certo em médio-longo prazo
      2. Em um conflito justo e equilibrado, não há nenhuma desvantagem para ouvir primeiro e deixar o outro lado estar convicto que você os ouviu
  4. Resolução de problema justo é colaborativo e baseado em dados.
  5. Uma coisa concreta antes de começar a trabalhar o conflito é sempre lembrar-se: Você são a mesma equipe.
  6. Confiança mútua
    1. Sem isto, rompa imediatamente. Está perdendo tempo e esforços
    2. Todos envolvidos querem que o time seja bem sucedido
      1.  Com isso, você está pronto para falar sobre o problema como um processo, onde diferentes pontos de vista são exibidos e avaliados diretamente.
      2. Você falha nisso somente quando tenta pular até o fim, ou desistindo antes de começar (auto-abandono) ou afirmando que você está certo antes mesmo de alguém conseguir obter se esclarecer ou até mesmo ter a palavra

Abraço a todos e agora, ciente dos dois trabalhos, torne-se melhor em ambos tanto quanto se foca em ser no que via antes. Em geral, o técnico!